CONFERÊNCIA DE BRUNO MADEIRA SOBRE A RECONFIGURAÇÂO IDEOLÓGICA DA EXTREMA-DIREITA

No dia 30 de junho de 2022, Quinta-feira, às 18,00 horas, realiza-se na UPP - Universidade Popular do Porto uma Conferência - Debate, presencial e por videoconferência, com o professor e historiador Bruno Madeira sobre o tema

"DO FASCISMO AO PÓS-FASCISMO: UMA APROXIMAÇÃO À RECONFIGURAÇÃO IDEOLÓGICA DA EXTREMA-DIREITA".

Compreender o recrudescimento e a reconfiguração dos grupos e das ideologias tributárias do fascismo histórico neste século XXI.

Caracterizar o fascismo, os seus sucedâneos e a sua evolução à luz das ideias, das políticas, das organizações e das ações que o vêm marcando.

Bruno Madeira é professor auxiliar convidado nos Departamentos de História, do Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho e de Estudos Políticos e Internacionais da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Investigador Doutorado em História pela FLUP.

Participação livre
Os participantes por videoconferência devem fazer inscrição prévia por e-mail para secretaria@upp.pt de forma a possibilitar o envio dos dados de acesso.

Data: 
Quinta, Junho 30, 2022 - 10:45

CONVÍVIO DE VERÃO NO JARDIM DA UPP

No dia 9 de julho, sábado, às 19.30h, vai realizar-se o Convívio de Verão da UPP no aprazível jardim da sua sede.

Para além do espaço de reflexão e de aquisição de conhecimentos, a UPP é um espaço de convívio e de afirmação dos prazeres da partilha de bons momentos de lazer.

Neste aguardado encontro de verão, os amigos da UPP desfrutarão de um animado convívio, música de qualidade e um Churrasquinho.

Momento musical com

Grupo Maduro Maio, sob direção de Guilhermino Monteiro

Cavaquinhos da UPP, sob direção de Paulo Rocha

Coral da UPP, sob direção de Pedro Marques

Participação sujeita a inscrição prévia junto da secretaria da UPP (secretaria@upp.pt ou tel. 226098641)
(10 upps e inclui o “Churrasquinho”)

INSCREVA-SE!

Data: 
Sábado, Julho 9, 2022 - 19:30

LANÇAMENTO DE LIVROS DE FÁTIMA SILVA

A UPP - Universidade Popular do Porto e a autora, Fátima Silva, têm o prazer de anunciar o lançamento de dois livros sobre Guilherme da Costa Carvalho, um herói íntegro e indomável da vida e da cultura portuguesa do século XX, na sede da UPP em 28 de Junho às 18h30.

A apresentação estará a cargo da Dr.ª Natália Correia.

Haverá momentos de poesia e momentos de música com a voz e a guitarra de Miro Couto.

COMPAREÇA!

Data: 
Terça, Junho 28, 2022 - 18:30

À CONVERSA COM DOMINGOS LOBO - 15 de junho

Na quarta-feira, 15 de Junho, às 18h00, na iniciativa "A Universidade Popular do Porto à Conversa com Escritores", o convidado será o escritor e crítico literário Domingos Lobo, sendo seus interlocutores o crítico literário e também poeta e escritor José António Gomes e a jurista Katia Castro.

Sessão presencial e por videoconferência

Domingos Lobo (n 1946) é romancista, dramaturgo, poeta e crítico literário, com vasta obra e diversos títulos premiados. Foi ator, encenador, programador cultural e é diretor do jornal A Voz do Operário. Editou “Os Navios Negreiros Não Sobem o Cuando” (1993, Prémio de Ficção Cidade de Torres Vedras), “As Lágrimas dos Vivos” (2005), “Território Inimigo” (2009), “Largo da Mutamba” (2015, Prémio Alves Redol 2013) e outras obras de ficção. Finalista do Prémio Leya em 2017, e agora publicado com chancela da Vega, “Faz Frio Neste Lado da Noite” (2022) é o seu último romance. No domínio teatral, é autor de “Cenas de Um Terramoto” (2010), “Não Deixes que a Noite se Apague” (2009, Prémio Nacional de Teatro Bernardo Santareno) e “A Fome dos Corvos e Outros Pretextos Teatrais” (2020). “O Rosto em Ruínas” (2020) é um dos seus últimos livros de poesia, área em que também obteve distinções.

Participação livre
(para videoconferência inscreva-se por email para secretaria@upp.pt)

Data: 
Quarta, Junho 15, 2022 - 18:00

REINSCRIÇÃO E INSCRIÇÃO NOS CURSOS LIVRES 2022/2023

A exemplo dos anos anteriores, vai iniciar-se o período reservado à reinscrição dos atuais alunos em horário diurno. Este período decorre entre 01 e 20 de junho. As novas inscrições fazem-se a partir de 21 de junho.

Até 15 de julho, o valor da joia de reinscrição/inscrição mantêm a bonificação de 50%.

No ano letivo de 2022/2023 encontrará um amplo conjunto de cursos, cuja relação se encontra no verso. Todos eles resultam da disponibilidade demonstrada por todos os orientadores voluntários, cujo contributo é fundamental para a atividade da UPP e a quem, desde já, agradecemos.

O novo ano vai iniciar-se com a abertura das aulas a 16 de setembro/2022 e encerramento a 15 de julho/2023, o que responde à persistente solicitação dos alunos. Os períodos de férias são os seguintes:
■ NATAL: 19/12/2022 a 02/01/2023, inclusive
■ CARNAVAL: 20 e 21/2023, inclusive
■ PÁSCOA: 03 a 10/04/2023, inclusive

Entretanto, mantem-se a vontade de concretizar outras iniciativas, transversais a todos os cursos, que se configurem como momentos de reflexão, convívio e partilha de outros saberes. Pretende-se reforçar a realização de debates sobre temas atuais, visitas de estudo, momentos de poesia, apresentação de livros, leituras comentadas, exposições, intervenções musicais, comemoração de datas específicas e festas diversas, que permitam ainda mais momentos de convívio entre todos, bem como o fortalecimento dos laços que nos unem.

Aproveitamos para informar que a tabela de preços não sofre alteração.

A situação pandémica que ainda persiste reforça a necessidade de colaboração e apoio de todos, dando sugestões, apresentando novas propostas, disponibilizando-se para apoiar e desenvolver os diferentes projetos. A contribuição de todos é necessária e deve passar por divulgar a UPP e o que realizamos, trazer novos amigos para os cursos e participar ativamente na vida da instituição. A UPP precisa de todos nós e só com todos será cada vez maior!

Este é um lugar onde gostamos de estar, onde o acesso ao conhecimento e o gosto de conhecer andam sempre de mãos dadas e para onde é um prazer TRAZER OUTRO AMIGO TAMBÉM!

CONTAMOS CONVOSCO!
A Direção da UPP

NOTA IMPORTANTE

O processo de reinscrição segue os trâmites dos anos anteriores:
1. Entregar a ficha de inscrição devidamente preenchida e assinada, com uma foto atualizada, tipo passe;
2. Pagar a reinscrição e uma mensalidade (relativa a 50% de setembro/2022+50% de julho/2023);
3. Apresentar, reunido o direito a desconto, comprovativo passado pela entidade titular do Protocolo. Lembra-se que o desconto apenas se aplica a partir do mês em que esta formalidade for cumprida.
4. Apresentar (se ainda o não tiver feito) a proposta de candidatura de sócio da UPP.

CONSULTE O FOLHETO ANEXO

Exposição fotográfica de Augusto Baptista até 23 de Junho

Atendendo à elevada procura que tem tido e aos elogios que tem recebido por parte dos visitantes, a exposição fotográfica de Augusto Baptista mantém-se aberta ao público até 23 de Junho.

Esta decisão do autor e da Direção da UPP dará assim mais espaço temporal para poder visitar a exposição quem ainda não o pôde fazer ou quem o queira voltar a fazer.

De 2.ª a 6ª feira, das 10h às 13h e das 14h às 19h
na Universidade Popular do Porto
Rua da Boavista, 736 - Porto (metro: Carolina Michaellis)

VISITA DE ESTUDO AO MUSEU E À CASA DE AMADEO SOUZA CARDOSO EM AMARANTE

Visita de estudo inserida no curso "História da Arte e Património" sob a orientação da Profª Assunção Lemos.

QUARTA-FEIRA, 8 de JUNHO

AMARANTE
MUSEU - CASA DE MANHUFE - CENTRO HISTÓRICO
Muito a descobrir!

Inscrição: 55€
Check-in na UPP: 9h00 - Chegada prevista à UPP: 19h

Consulte o folheto

Este roteiro a Amarante, surgiu no contexto do curso livre – História da Arte e do Património. Sendo Amadeo de Souza-Cardoso o tema que estamos a desenvolver, o propósito pertinente de contactarmos com alguma da sua obra gráfica e pictórica, impôs-se completamente. Claro que o CAM / F C Gulbenkian / Lisboa, reúne um acervo maior, mas, a visita ao Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso é a escolha acertada.
O artista português mais actualizado do seu tempo (1887-1918), nasce em Manhufe a 14 de Novembro e morre em Espinho a 25 de Outubro, numa casa de veraneio da família, para onde se retirara para escapar à chamada ‘gripe espanhola’.
É no contexto das suas origens, que nos deslocaremos à casa que o viu nascer, habitar e regressar em períodos de retempero e inspiração, na sua opção de aprendizagem voluntária em Paris, desde 1906.
“A casa de Manhufe” (óleo s/madeira 50.8x29.3 cm, c.1913), que visualizaremos no Museu Municipal faz parte das construções rústicas: é uma torre ameada de fresca data, mandada erigir pelo pai ou avô do pintor numa simulação solarenga e medieval, imitando casas nobres de Entre-Douro e Minho (FRANÇA, José-Augusto. 1986. Amadeo & Almada. Lisboa: Bertrand. p. 53).
“A cozinha de Manhufe” (óleo s/madeira 29.2x49.6 cm – CAM-F C Gulbenkian, Lisboa) e “A casa do Ribeiro” (óleo s/madeira 29,5x51,7 cm – colecção particular) propriedade do seu tio Francisco de Souza Cardoso, onde foi anexado um atelier para melhor/maior autonomia do pintor e de sua mulher (Lucie Pecetto, com quem vive em união de facto até 26 de Setembro de 1914, quando decide casar no Porto, como regularização de compromisso familiar), que aí se estabeleceram a partir de 1915. A primeira Guerra Mundial (1914-1918), impedirá o retorno desejado à capital francesa. Amadeo será uma das vítimas da pneumónica. A sua obra única, singular e como Almada Negreiros se expressou a primeira descoberta de Portugal na Europa do século XX (Manifesto do Catálogo da Exposição na Liga Naval. Lisboa. 1916).
Se o pretexto foi Amadeo, Amarante, terra de outros grandes intelectuais, artistas e políticos, onde destacamos – Albano e Ilídio Sardoeira, António Carneiro, António Cândido, Teixeira de Pascoais, Agustina Bessa-Luís, entre outros, deve ser lembrada. Importa ainda destacar o seu rico património histórico, que em visita guiada pelas ruas, praças, igrejas,
conventos e palácios, sem esquecer a arqueologia industrial, a paisagem construída que Augusto Casimiro e Sant’Anna Dionísio nos relatam (Guia de Portugal. Entre Douro e Minho I. Lisboa: FCG. 1994, p. 576-598), oferecendo singularidades afins. O ex-convento de S. Gonçalo com o seu Museu Municipal e a Biblioteca. A igreja recentemente reabilitada de S. Gonçalo, obra prima do Maneirismo em Portugal. A ponte de Carlos Amarante. A gastronomia que no ano de 2016 a Rota das Estrelas passou por Amarante, mas desta vez o chef da Casa da Calçada quis sair do restaurante e levou o jantar até ao Museu (COELHO, Alexandra Prado. Público. 15 Out. 2016, p. 16/17), recriando obras de Amadeo.
(...)
São alguns apontamentos introdutórios, para uma visita. Não esquecendo os famosos doces locais, o artesanato, as suas gentes e, obviamente, o património contemporâneo.

Assunção Lemos

Tema:

Páginas

Subscribe to Universidade Popular do Porto RSS